quinta-feira, 29 de maio de 2008

Último dia

Um grupo de alguns homens e mulheres se protegia do sol sob um velho carvalho, a grama estava tão verde quanto se podia imaginar e as águas do lago reluziam tentadoramente. Um homem de terno se juntou a eles e o grupo estava completo.
Uma das mulheres foi ao chão, tirou as botas, dobrou a barra da calça, abriu um largo sorriso e começou a correr e pular pelo campo chamando os outros. Um dos homens tirou o paletó, afrouxou a gravata, abriu uns botões da camisa e foi ao seu encontro, mais um homem o seguiu e logo todos estavam fazendo o mesmo. Todo o grupo corria pelo campo e todos sorriam sem esconder a falta que sentiram de tudo aquilo.
- Vocês parecem um bando de criancinhas! - Exclamou um dos homens com o rosto brilhando de suor.
A mulher de cabelos não-tão-escuros pulou em suas costas e gritou:
- E você ainda é um crianção! E tira o cabelo da testa pra ver se ela fica da cor do resto do seu rosto, ok?
Os outros riram e concordaram.
A mulher corria de braços abertos na beira do lago, a de cabelos negros veio por trás e se jogou na água levando a amiga pelo braço.
- Que merda de amiga é você?! - Perguntou a que corria, fingindo raiva.
- A melhor que você tem, ok? - A segunda sorriu um sorriso maroto e vitorioso.
A primeira tirou o cabelo do rosto, olhou bem no fundo dos olhos da amiga, respirou fundo e cuspiu água em seu rosto com toda a força que encontrou. Quando a segunda estava prestes a revidar, uma massa de belos cabelos cacheados se jogou na água molhando as duas. Depois dela mais três ou quatro mergulharam e num instante todos estavam dentro d'água.
Um homem com muitos cachos jogou água na morena de cabelo preso, ela se jogou sobre ele tentando afundá-lo, a mulher de cabelos cacheados ria de qualquer coisa com um moreno de cabelos lisos, o homem de olhos claros imitava coisas para fazer a menorzinha rir, o de cabelos negros jogou água na mulher que boiava de cabelos iguais aos seus, o homem de cabelo mais curto saia d'água com uma loira que tremia de frio e dois casais mais afastados brincavam de Briga de Galo.
No começo da noite, devidamente secos e agasalhados, todos se juntaram ao redor de uma fogueira com uma boa variedade de besteiras comestíveis, sorrisos, lembranças e coisas para botar em dia.
Mais tarde os rapazes sacaram seus violões e improvisaram até altas horas com as garotas cantando e batucando, com trocas de instrumentos e funções de vez em quando. A de cabelo preso sugeriu Wonderwall e All Star, eram as poucas que eles lembravam as letras, ou maior parte.
Curtiram o silêncio do lugar e a natureza por uns instantes, depois voltaram a admirar os sorrisos que brilhavam no escuro daqueles que, sem dúvida, proporcionaram as melhores partes de seus dias até então.
Depois disso exploda o mundo que eles nem ligam.

4 comentários:

A. disse...

Nota mental: Idéias interessantes, melhorar modo de narrar antes que alguém morra lendo.

I! disse...

Em relação a sua nota mental estúpida:
Estúpida.Morrer lendo um texto seu?Baaah!

Em relação ao texto:
Minha falta de palavras consegue expressar melhor oque eu achei do teu texto,dona moça.E,brother,não consegui identificar todo mundo,mas achei eu :) E a Bee e você e a Joh e o João e a Nalú.
Já notou que quando eu e você não usamos nomes nos textos,diferenciamos os personagens pelo cabelo que cada um tem?
Aihriahihaeiaheihaeiae

Bee. disse...

Concordo com a Ila sobre sua tosca nota mental.

E veeelho, esses seus textos fazem com que eu ache que vá explodir de felicidade. Sabe?

I! disse...

'Porque você escreve cartas pra mim quando eu peço'.
Pera..acho que isso não tava na lista,né?