sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Meus bilhetes

Cinco amigos, uma escola, um belo dia. L., S., A., E., e eu, passamos o recreio juntos como sempre, nada de muito revelador. Voltamos, tivemos as últimas aulas do dia e o sinal bateu. Enquanto eles arrumavam seus materiais, quase que ao mesmo tempo, cada um encontrou um bilhete de caligrafia arrastada e cheia de pressa. Nos juntamos na porta da sala como de costume e cada um tirou seu respectivo bilhete do bolso. O de L. dizia "Pára de fingir. Não serei seu passa-tempo", o de S. "Chega de drama, o mundo não gira em torno do teu umbigo", o de A. "Não dá mais para ser sua cachorrinha" e o de E. "Cadê teu senso de humor? E tua sinceridade?". Perguntaram se eu também havia recebido um, assenti tirando um papelzinho dobrado do bolso, a caligrafia arrastada me dizia "Falsa; Covarde". Meus amigos ficaram entretidos com aquilo tudo e passaram todo o caminho até o portão especulando quem seria o autor dos tais bilhetes, eu ria em silêncio. Encerrei a conversa com um "deve ser brincadeira de alguém" e fui para casa satisfeita e aliviada por ter dito à eles - e à mim mesma - o que eu queria. Bilhetes, como eu não havia pensado nisso antes?

And a happy halloween

6 comentários:

J. disse...

Muito esperto. Simplicou tanto o modo de dizer coisas que são tão complicadas. Genial. :D


E que foto maaais gracinha, vou fantasiar meus filhos de legumes quando os tiver. [ui, os filhos ou os legumes? fikdik]

I! disse...

Chamo isso de falta de coragem pra dizer com palavras e frente-a-frente o que se quer e o que se deve dizer,mas mandar bilhetinhos anônimos ainda é melhor do que não dizer nada at all.

D. disse...

ih, que pessoa malvada...

Bee. disse...

Cheiro de maldade no ar! Ö

I! disse...

AEHAIEHAIEHAIEHAIEHIAEHAIEHAIEHAIHEIAHEIA!

I! disse...

:3
Você não sabe se essa na história é você,rapá.Pára de reclamar.