terça-feira, 22 de junho de 2010

Homesick

Revirando as caixas empoeiradas e iluminadas pelos feixes dourados de luz que atravessavam a esburacada parede de madeira do sótão, me vi diante daquela que continha o passado que eu decidi deixar para trás. O caminhão de mudança me esperava na calçada, mas eu não tinha pressa. Atravessei o mundo de cacarecos e fotografias que transbordavam da caixa, chegando ao fundo. Tateei e envolvi com os dedos algo que havia passado despercebido na primeira vez que vasculhei a caixa parda, uma fita de áudio. Apertei-a contra o peito pensando se valeria a pena revelar os segredos da mesma, ou se seria melhor deixar o passado de lado definitivamente. Não demorou muito para eu descer as escadas correndo com a fita n'uma mão e o toca-fitas na outra, empilhar as ultimas caixas no caminhão e seguir no meu carro.
Minha nova casa não era longe dali, mas era nova, e assim, um refúgio. Quando me vi sozinha, cercada pelas pardas caixas de papelão triste, pelas quatro paredes brancas do cômodo, encarando o estrado da cama, resolvi que era hora de enfrentar a tal da fita. Sentei no chão com o aparelho, soprei a fita para não perder o hábito e a inseri. O que saiu das caixas de som, além de uns estalos, um risinho abafado e uns murmúrios foi uma melodia de violão conhecida. Com um quê nostálgico. Demorei um tanto para reconhecer a melodia que me embalou todas as noites em que eu dormi na casa de meu avô. Tão frágil, tão meu, tão inalcançável. Esse negócio de 'lugar melhor' não existe, nada era melhor do que você comigo. E mais uma vez, as lembranças me invadiram por uma pontada no ventre, subindo quentes até a garganta. Minha testa pressionada contra o chão frio e eu me dando conta de que talvez eu nunca aceite 'o ciclo natural das coisas'.

3 comentários:

Gabi disse...

Ahh, o ciclo natural das coisas ! É tão simples, é tão certo, é tão injusto... Eu tento excluir tudo que é 'natural' da minha vida, tentando ignorar esse ciclo sem fim. Claro que nunca dá certo, né, mas não custava nada tentar (:
Mais uma vez o texto tá ótimo, parabéns ! :D

I! disse...

Nostalgia e homesickness me dão ânsia de vômito.

I! disse...

E respondendo seus dois últimos comentários:

- Claro que não,os olhos grandes e escuros são meus,hahaha A modéstia de escrevê-los também (;
- Você gosta é de mim.