terça-feira, 26 de agosto de 2008

Certezas


Tarde de chuva, Tom e Marco ligaram o video-game na TV grande da sala e começaram a jogar.
- Meu carro é muito melhor. - Marco se gabou.
- O meu é ruim mas aposto que eu ganho mesmo assim. - Tom rebateu.
A luz verde acendeu, os garotos arregalaram os olhos e botaram suas respectivas línguas para fora, era a cara de concentração no video-game. O carro de Tom começou na frente, mas acabou ficando para trás em algumas voltas.
- Droga! Você 'tá roubando, Marco!
- Não é nada, você que é ruim!
O carro de Tom alcançou o de Marco nas últimas voltas, mas não teve jeito, Marco era claramente melhor, talvez por apertar o botão de freio nas horas certas. Tom dizia que frear antes das curvas era besteira, por isso na maioria das vezes seu carro ia parar no acostamento.
- Não valeu, a próxima eu ganho.
- Quero ver.
A tarde foi passando ao contrário da chuva, cheia de vitórias e derrotas para ambos, cheia de apertar de botões e acidentes de carros fictícios.
- Já chega, né? Meu bumbum já 'tá ficando quadrado de ficar sentado, vamos fazer outra coisa.
Os meninos encostaram os respectivos narizes no vidro frio da janela e suspiraram por não poderem empinar pipa, a chuva estava mais fraca, mas ainda chovia. Tom murmurou qualquer coisa, abriu a janela, arregaçou as mangas e pulou para o lado de fora, caindo com tudo em uma poça de lama.
- Tom! Sai da chuva!
O menino de bochechas rosadas e calças recém-sujas ria como se a chuva o fizesse cócegas, ficou de pé com um salto, agarrou o braço do amigo e o puxou para fora da casa. Tom caiu de volta na lama com Marco em seu colo.
- Droga, Tom, você vai ver!
Tom se serviu de um bom punhado de lama, o esfregou na blusa do amigo e correu. Marco correu atrás dele gritando, mas antes que pudesse perceber estava rindo, os dois estavam rindo.
Marco chutou uma porção de lama nas calças do amigo enquanto corria e quase que imediatamente se atirou em suas pernas, levando os rostos dos dois ao chão. Tom e Marco limparam os rostos, se encararam e riram, riram até as barrigas doerem, riram até chorarem, riram por estarem ali, riram de felicidade, riram por serem amigos e riram por estarem bem bonitos enlameados. Eles nem precisavam dizer, mas sabiam que aquela felicidade de existir, a felicidade de terem se conhecido, a felicidade de passarem tempo juntos e a felicidade de serem melhores amigos os acompanharia para sempre.

5 comentários:

D. disse...

ih, que gracinha

I! disse...

Que crianças feias.
IAHEIHAIEHAIEHAIEHIAE
:)

Seph disse...

que viadinhos hein? xD

pelo menos sao grandes amigos ;3


nana, pra mim vcs iriam mesmo levar o twister, fikei decepcionado que noa levaram D:

I! disse...

A parte das orelhas sorridentes veio de você,que notou isso antes de todo mundo :)

I! disse...

Sorrio com as orelhas sempre?Que coisa mais engraçadinha.
Vou tentar descobrir se você com alguma parte engraçada do corpo também.