segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Melancolia

Do meu ponto de vista: O rosto acinzentado, fino e mal-iluminado fitando a lua, os cabelos negros soltos ao sabor do vento, os olhos brancos com seu brilho melancólico observando os flashes de passado que o atormentam.
Tudo vai passando muito rápido, posso distinguir alguns saltos na escuridão de mordidas sensuais e batalhas sangrentas. Suas lembranças se resumem a vermelho e preto, escuridão e sangue.
E eu observo de longe a história daquele vampiro, de mais um, mais uma, mais outros, dois, três, doze criaturas que eu julgava irreais, mas agora vejo que estão por toda a parte. Rostos inocentes escondem passados obscuros, desejos e missões incompletas.
Cocei minhas orelhas pontudas cheias de imortalidade, dividíamos o mesmo futuro, alguns chamam de dádiva, eu chamo de sina.

6 comentários:

Seph disse...

me sinto honrado

I! disse...

Uau.
Só uma coisa: é 'coçei'.

Seph disse...

eu perco, sou pessimista

I! disse...

Você quem fez o desenho?



É o meu eu-lírico.

I! disse...

Achei lindo.
Mas me diz aí..Se eu fosse um ser encantado e mágico,o que eu seria?

I! disse...

Boa.
O vento é louco,é lindo,é tudo.É o vento,né,pô?

"I am he as you are he as we are me and we are all together."